Quem é Edson Carneiro Índio

Conheça um pouco da minha história e a história do meu povo.

Minha trajetória está associada profundamente com as lutas de nossa gente. Preparamos um pequeno vídeo sobre esta caminhada.

Meus agradecimentos a todos e todas que ajudaram a recuperar fotos  de momentos significativos para minha vida. Foi muito emocionante recuperar isso.

Vamos, Sem Medo de Lutar e Ser Feliz.

BIOGRAFIA DO ÍNDIO:

Edson Carneiro, o Índio, é Secretário Geral (licenciado) da Intersindical, uma central de trabalhadoras e trabalhadores fundada em 2014 que congrega sindicatos, entidades e associações daqueles que vivem do trabalho no setor formal da economia.

 Mas, a central também abarca coletivos de pessoas que estão na informalidade, no trabalho precário, na luta por moradia, terra, cultura, transportes, igualdade racial etc.

 O Índio também tem atuação destacada na formação e consolidação da Frente Povo Sem Medo.

 Filiado ao PSOL, Índio é militante social e político desde 1989, atuando nas mais diversas causas sociais e coletivas.

 Iniciou sua participação política aos 21 anos de idade, durante as eleições presidenciais de 1989, quando ainda morava em Promissão, no interior de São Paulo.

Poucos meses depois ele se mudaria para a cidade de São Paulo para cursar faculdade e trabalhar.

Admitido como operador de caixa do Banco Mercantil de São Paulo uma semana antes do confisco das poupanças pelo governo de Fernando Collor, em março de 1990, Índio se engajou na greve geral realizada em junho daquele ano contra o Plano Collor e o arrocho salarial.

Seu engajamento na greve, nas atividades do Sindicato dos Bancários de São Paulo e demais entidades do movimento social e político, não parou desde então.

Participou de muitas e variadas lutas coletivas. Desde a denúncia dos altos juros e tarifas cobradas pelos bancos, as privatizações e reformas neoliberais de FHC, da campanha contra a ALCA, a entrega do Banespa pelo então governador Mário Covas, defesa da reforma agrária junto ao MST e da moradia junto ao MTST, dos plebiscitos popular da dívida externa, contra a privatização da Vale do Rio Doce, entre outras demandas populares.

Índio teve importante atuação na luta contra o ajuste fiscal iniciado em 2015 e também, já naquele momento, contra a atuação golpista da direita que se aproveitou das escolhas equivocadas feitas pela então Presidenta Dilma no início de seu segundo mandato.

Mesmo assim, Índio não vacilou em assumir, desde 2015, a luta contra o golpe que viria ser concretizado em 2016 e que pavimentou o caminho para o avanço do desmonte do Estado, dos direitos sociais e a ascensão da extrema direita no Brasil.

Índio foi uma das vozes mais ouvidas no combate à reforma trabalhista de Michel Temer. Mas também de muitas medidas tomadas contra os direitos da classe trabalhadora no último período, como a Emenda Constitucional do teto dos gastos.

Teve, também, importante atuação contrária a deforma da previdência, ao projeto da Carteira Verde e Amarela e demais medidas de precarização do trabalho realizadas por Bolsonaro, com apoio e voto da maioria do Congresso Nacional.

Em três décadas de engajamento em causas coletivas sofreu perseguição política no banco e várias tentativas de criminalização por sua participação em lutas coletivas.

Graduado em Ciências Sociais e Geografia, Índio é também professor e lecionou na rede estadual de ensino por mais de 17 anos, atuando em várias escolas e regiões de São Paulo.

De origem pobre, descendente de família indígena expulsa da terra em Minas Gerais (sua origem paterna) e de agricultores do sertão da Bahia (origem materna), Índio ainda mora na capital paulista.

Sempre na defesa das causas e necessidades mais sentidas pela maioria pobre, periférica, negra, indígena, LGBTqi, da cidade e do campo, Edson Carneiro Índio é conhecido nacionalmente como dirigente político e social.

Segue na luta em defesa do papel social do Estado, da valorização do trabalho e investimentos vigorosos nas políticas públicas com capacidade de reverter as históricas desigualdades sociais que assolam a maioria da população brasileira.

Ele continua também na luta por justiça social, por igualdade econômica, pela democracia, pela dignidade da pessoa humana e o bem comum.

Enquanto houver exploração, haverá resistência!

Edson Carneiro Índio, de um povo sem medo de lutar!

#indio50600